Um projeto chamado de Natação Inclusiva que atende 150 crianças com idades entre 07 e 10 anos recebeu a visita do ex-atleta Gustavo Borges no final de setembro.

 

A meta é estimular a permanência na escola por meio da prática esportiva.

 

O projeto é resultado de parceria entre iniciativa privada, órgãos públicos, ONGs e o Conselho dos Direitos da Criança e do Adolescente. Os recursos foram provenientes da Basf para o Fundo dos Direitos da Criança e do Adolescente.

 

As aulas são realizadas na Associação dos Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae) e beneficiarão também jovens da Apae e da Casa Solar das Crianças, que atende meninas destinadas para a adoção. O objetivo é atuar nos fatores de exclusão social, com a identificação de futuros talentos e valorização da prática esportiva como instrumento de integração entre a escola, a família e a comunidade.

 

O método utilizado visa que o aluno tenha ciência de sua habilidade para o esporte e se desenvolva de maneira correta, fornecendo base e incentivo por meio de condicionamento físico.

 

Fonte: http://www.responsabilidadesocial.com