Uma matéria do jornal “O Estado de SP” de 23 de setembro me deixou muito preocupado. Trata-se de um texto que tinha como título o seguinte: “Sobe de 29 mil para 51 mil o número de crianças analfabetas em SP

Segundo Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) 2008, divulgada pelo IBGE na semana passada, houve um aumento do número de crianças e adolescentes classificadas como analfabetos no estado de São Paulo.

Um crescimento de quase 40%. De quase 56 mil, em 2.007, para aproximadamente 79 mil analfabetos em 2.008. Esses números representam as crianças entre 8 e 9 anos que não sabem ler nem escrever.

Se falarmos das crianças entre 10 e 14 anos, em 2.007, havia 29 mil analfabetos e em 2.008 o número chegou a 51 mil, quase 80%!

Bom, os números podem ser encontrados nesta edição do jornal ou no site do IBGE http://www.ibge.gov.br/home/estatistica/populacao/trabalhoerendimento/pnad2007/tabsintese.shtm (Por enquanto o resultado não foi publicado).

O que me chamou atenção, além desses números absurdos, foi a informação de que a Secretaria de Educação do Estado de São Paulo avalia que esta diferença pode ser explicada por um erro na amostra do IBGE!

OK. Levemos em conta que pode ter havido algum erro aqui ou ali, mas com uma diferença dessas, o tratamento deveria ser outro. É um fato que São Paulo tem um grande número de analfabetos. A secretaria deveria dar mais apoio aos projetos sociais para diminuirmos isso e não colocar contestações.

Creio que os projetos sociais de algumas entidades não-governamentais, os projetos sociais de algumas empresas e o trabalho voluntariado ajudem muito na alfabetização, mas com números como esses é preciso mais. É necessário envolvimento e comprometimento de órgãos públicos e acima de tudo, contribuição humanitária.

Se nada mudar, os analfabetos de hoje serão os analfabetos de amanhã, com um acréscimo que aflige, seus filhos se espelharão em quem? Será que a tendência não é o crescimento exponencial desse número?

Pense nisso, o que você poderia fazer para ajudar na reversão desse quadro?